segunda-feira, novembro 19, 2007

120 minutos
este domingo fiz o treino sozinho, parti do casino estoril e regressei quando fiz uma hora, quase a chegar ao muxacho.

foram cerca de 23 km, uma bela manhã de sol e com pouco vento, no regresso o calçadão está sempre muito povoado e temos que fazer sempre um pequeno zig-zag.

deu tempo para pensar no futuro, dado que londres está cada vez mais longe... estou a ficar inclinado em fazer a solidão do carlos lopes em lisboa - abril e depois no segundo semestre apostar numa prova internacional, berlim, helsínquia, amesterdão...
mas em 2008 vou fazer duas de certeza

abraços e boas corridas...

segunda-feira, novembro 12, 2007

a chegada....

video
nazaré


apesar das 1h45m, soube a record....
grande ambiente, muita gente simpática quer na cidade quer nos cruzamentos das zonas mais descampadas, este estival que vivemos actualmente leva a que as pessoas passem umas horas sentadas à beira da estrada a apanhar um solzinho e e aplaudir uns malucos que andam para ali a correr 21 km e picos entre as 11h e as 13h
fui sem relógio como tinha prometido, e mesmo com a conversa sobre o louco longão com o luis miguel, não consegui começar lento... até segundo o meu companheiro carlos ferreira, nos primeiros km cheguei a ir a 4:40/km, mas o meu objectivo era ir a 5m e foi conseguido e ia sendo controlado no avançado sistema de controlo de 5 em 5 km.
Um belo peixe no final e à noite um 6-1 + 5 golos para festejar, e o dia acabou em beleza :D
abraços,

quarta-feira, novembro 07, 2007

exemplo:
in correio da manhã
Pedro Mantorras, a mulher Nina e a empregada do casal salvaram um taxista da morte no domingo à noite. Perto das 22h00, o jogador encarnado aguardava em casa (Marisol, na zona da Fonte da Telha) pela chegada do sobrinho, António, transportado num táxi, desde Alhandra.
Como habitualmente, Nina, a mulher do jogador do Benfica, pediu à empregada para pagar ao taxista. Mas volvidos poucos segundos, voltou a casa, aos gritos: “O senhor está mal do coração, está a morrer”.Mantorras e a mulher saíram para o exterior e depararam-se com o taxista prostrado. “Ele estava mesmo mal, nem conseguia respirar”, disse Nina ao CM.
A empregada do jogador tem alguma experiência em primeiros socorros, mas Pedro Mantorras juntou-se a ela nas massagens cardíacas ao taxista. Ao mesmo tempo, Nina pegou no telefone, tentando contactar Luís Filipe Vieira e os serviços de emergência médica, já que não dispunham do contacto telefónico dos familiares do taxista.
Na emergência médica, a primeira operadora desligou-lhe o “telefone na cara”. Nina não desistiu: “Depois apanhei uma funcionária mais simpática do que a colega anterior. Recomendou-me calma e garantiu-me que a ambulância já vinha a caminho. Eu só lhe dizia, desesperada, que se demorassem muito iam encontrá-lo morto.” Nina ainda ligou a um taxista amigo, de Alverca, e foi este quem conseguiu o número telefónico do filho da vítima, que tinha o telemóvel desligado.Quando chegou a ambulância e enquanto o taxista era transportado para o hospital Garcia da Horta, em Almada, Mantorras guardou-lhe o carro no quintal da vivenda onde reside, na Margem Sul do Tejo.
FAMÍLIA AGRADECIDA AO ANGOLANO Chama-se Jacinto Brancas e tem 59 anos o taxista salvo por Pedro Mantorras e a mulher. Transferido ontem do hospital Garcia da Horta para o de Vila Franca de Xira, sente-se agora bem melhor, aguardando que os médicos lhe dêem alta. Profundamente agradecido ao casal angolano está o filho, Hélder, benfiquista confesso, que já era fã de Mantorras antes de o conhecer pessoalmente. “Nunca pensei conhecer o Mantorras e agora estamos em contacto permanente. Pena que isso tenha acontecido nestas circunstâncias, mas se já o admirava antes agora ainda muito mais”, confidenciou ao CM.Os agradecimentos estendem-se também a Nina: “Tem sido muito atenciosa, está sempre a perguntar como está o meu pai.”

segunda-feira, novembro 05, 2007

pensar e aplicar
este blog está uma vergonha, só perspectivas de records e nada de treino para isso... facilmente se chega à conclusão obvia que não seria essa a "cenoura" correcta...

depois de alguns conselhos amigos, decidi que nas próximas provas não irei usar cronometro /gps, irei participar mas sem pressões de tempo.


próximas provas:

- nazaré

- lisboa (meia)

- natal

- amadora

abraços e boas corridas,