terça-feira, fevereiro 21, 2017

Maratona de Sevilha - a minha XIII


Fiz no passado Domingo a minha 13ª maratona. No facebook andei a escrever que a última tinha sido há 6 anos, mas é mentira a última foi a Maratona de Lisboa em 6 de Dezembro de 2009, ou seja, 7 anos e dois meses... 
Foi em Outubro após uma razoável corrida do Montepio que decidi ir ao site da Maratona de Sevilha, falei com a família e o "decreto" foi aprovado. Depois foi planear os treinos e começar a meter km na pernas, um dos marcos mais importantes foi o treino nocturno de S. João das Lampas em 18 de Novembro que me deu sinais muito positivos, depois a Meia dos Descobrimentos com regresso à 1h45m também vão mantendo a confiança juntamente com os longos que foram sempre feitos com boas indicações em termos físicos.
O que me levou a tomar esta iniciativa? Em 2016, desde a desistência na Meia de Lisboa em Março nunca mais corri até Julho, desde esse mês até Sevilha, perdi cerca de 15kg. Para além de correr, a modificação que fiz em termos alimentares foi cortar nos hidratos de carbono (massas, arroz, batata, açúcar, cerveja, etc). Há quem diga que este tipo de dieta não é compatível com a corrida mas eu fiz todos os meus treinos longos em jejum e só com água durante o treino e na manhã da maratona tomei um chá para limpar os intestinos e comi frutos secos, durante a prova só tomei água e correu tudo bem.
A prova em si correu como tinha planeado, apontei para um tempo abaixo das 3h50m e segui o plano - primeiros 5k são cumpridos de uma forma muito conservadora sem preocupações de ultrapassar ninguém e apenas olhando para o relógio para confirmar que não se está a a ir rápido demais, depois dos 6 aos 32km   segue-se um ritmo mais rápido do que a média dos tempo que se pensa fazer e nos últimos 10k é o que o corpo conseguir dar... No meu caso fui sempre bem e até com a sensação de estar a travar até cerca dos 25k, a partir daí já senti que estava a forçar um pouco para manter o ritmo, mas a partir do km 30 começa a parte com maior assistência (mesmo tipo tipo "tour de france") e os "dá cá mais 5" às crianças dão para aumentar a energia e motivação mas ali depois do km35 o ritmo começou a baixar e até aos 39km mas depois de receber o apoio das minhas mulheres que ali  aguardavam há tanto tempo, ganhei novas forças e entrei no estádio oliímpico com um sorriso nos lábios e a sprintrar (é uma força de expressão) tanto que na foto a cruzar a meta até estou com os dois pés no ar.

Ontem fiz a dura viagem de regresso depois de um passeio pela cidade. Resolvi marcar para hoje uma massagem de recuperação no "Sport Performance Center" no Algueirão e fiquei como novo.

O resumo da prova no strava:

 

Aqui fica a minha análise (review) da prova:
Pontos Positivos:
- Perfil plano da prova
- Balões para tempo
- Muita assistência em toda a prova a apoiar
- Tempo de prova liquido
- Abastecimentos a cada 2,5 km
- Meta num estádio olímpico
Pontos Negativos:
-  Muito tempo até chegar aos primeiros líquidos depois da meta
-  Abastecimento em copos

Agora é para continuar a fazer umas provas e no segundo semestre,  em princípio, farei outra maratona.


Abraços e boas corridas, 

1 comentário:

António Almeida disse...

Grande Nuno, muito bom.
Excelente cidade para o regresso à maratona.
Abraço,
António Almeida