terça-feira, setembro 28, 2021

Memorial Francisco Lázaro - 10K

Foi em memória do mártir português da maratona - Francisco Lázaro - que se realizou a XIV corrida de 10 Km, com partida e chegada no estádio com o nome do malogrado maratonista de Benfica, local pertencente a uma das agremiações mais antigas da cidade de Lisboa o Club de Football Benfica, carinhosamente conhecido por "FóFó", fundado em 1895.


Esta prova estava inicialmente marcada para Junho, mas como os números da pandemia começaram a subir, foi adiada para o passado sábado, com um horário mais fresco de final de dia - 18:30. Apanhou-me numa altura em que não me daria muito jeito provas curtas de 10 km, mas de manhã fiz a minha voltinha de uma hora para acrescentar quilómetros ao dia.

Olhando para o perfil da prova e conhecendo a zona, parecia ser uma prova com a a primeira metade a subir (zona de monsanto) e os segundos 5K a descer, por isso tive uma abordagem conservadora , mas durante a prova fui-me sentindo bem e nem parecia ser tanto a subir, apenas uma rampa antes do retorno deu realmente para sentir inclinação, depois foi sempre a descer, após recuperar a energia, consegui meter um bom ritmo e até fiquei bastante surpreendido e contente com o resultado final a bater os 46 minutos por um segundo - resultado líquido 45:59 - nem em sonhos pensaria fazer um tempo destes, pelos sinais que tenho tido nos treinos. 

 

A prova teve cerca de 350 participantes e a partida já foi em modo desconfinado, em massa. Na minha opinião correu tudo bem, excepto algum atraso na partida devido a cortes de trânsito a efectuar pela PSP. Outro ponto positivo que gostaria de salientar é a inscrição "light" sem direito a t-shirt que permite ter um custo mais reduzido na inscrição e um pouco menos de impacto para o ambiente.

Aqui está o registo no Strava: 

Agora tenho mais um ou dois longões até à Maratona de Lisboa no próximo dia 17 de Outubro.

Abraços e boas corridas!


segunda-feira, setembro 13, 2021

Corrida do Centenário - FPA

Ontem foi o regresso às provas depois da Corrida da Árvore em 20 de Junho, fui participar na Corrida do Centenário da Federação Portuguesa de Atletismo.

Tratou-se de uma prova com 10 km de distância com partida e chegada no Estádio Nacional no Jamor, viragem à direita até Caxias e retorno pela marginal até Algés e regresso ao local da partida.


 

Tenho andado a treinar mais a sério desde meados de Agosto com o objectivo da Maratona de Lisboa, tenho feito semanas superiores a 80km e aproveitei esta semana para aliviar um pouco a carga.

Pelos testes que tenho feito, as perspectivas não eram nada de especial, tendo previsto mesmo, não ficar muito além das outras provas de 10K que fiz este ano (Lezírias e Árvore), ou seja mais a pender para os 50 min do que para os 45 min.

Senti-me "normal" ao partir em massa sem as vagas, sinal que estamos a pouco e a regressar ao mundo anterior. Na descida tive que abrandar para não entrar em entusiasmos e depois vir a pagar mais tarde, atingi o ritmo que pretendia e tentei manter até aos 5K, a ideia era libertar mais as pernas a partir desse ponto mas temperatura abafada e a humidade não deixaram aumentar muito mais, sendo assim, deixei-me ir e já a pensar na subida final com cerca de 500m onde o ritmo iria ser sacrificado, assim foi e acabo com boas sensações e quase precisamente com o os mesmo tempos das últimas provas - 49m55s

Está aqui o registo do Strava:

 Agora é continuar a treinar e aproveitar mais uma prova para descansar dos treinos.

Um abraço e Boas corridas,

terça-feira, julho 27, 2021

Corrida do Tejo 2021

Nestes tempos de pandemia, fico sempre contente quando vejo a realização de uma nova prova de corrida.
Fui logo a correr fazer a minha inscrição, mas resolvi que não me iria inscrever porque encontrei muitas coisas com as quais não concordo.
Não me choca que uma organização defina as suas regras, e que coloque como exigência se o participante tomou um determinado medicamento para estar protegido relativamente a uma determinada doença, ou então que já tenha tido essa doença e esteja também protegido, ou então que faça um teste a provar que não está com essa doença.
O que me chocou foi o formulário de inscrição (localizado num site de uma empresa de bilhetes online) que me obrigou a anexar uma cópia de um documento pessoal que refere se eu tomei um determinado medicamento, qual a marca, e em que data foi administrado ou então se estive doente e há quanto tempo. Também me pedem o meu número de utente do SNS.
Uma coisa seria dar o QRcode a ler no momento de levantamento do dorsal, outra é enviar uma cópia de um documento, que eu entendo como pessoal e com informações de âmbito privado, para uma entidade que eu não sei para que precisa desse documento nem sei o que irá fazer com o mesmo, relativamente ao número de utente do SNS também não sei qual será a intenção.

NOTA: a palavra "contacto" estar escrita como "contato" também ajudou à minha não inscrição na edição deste ano.
Vou partilhar esta minha preocupação por todos os meios ao meu alcance.
Abraço e boas corridas,

quinta-feira, junho 24, 2021

corrida da árvore - uma primeira vez

No passado domingo dia 20, tive a primeira partcipação numa prova que já vai na 26ª edição. É verdade nunca surgiu oportunidade de participar nesta corrida que normalmente se realizaria em Março, não tenho a certeza se coincide com as lezirias ou com a meia da ponte...

Sendo realizada no parque de monsanto em Lisboa, calcula-se que terá algumas subidas e descidas, por isso não preparei uma "vingança" muito grande relativamente à má prestação em Vila Franca de Xira. 

Inscrevi-me no "slot" mais cedo que estivesse disponível que foi às 9:20h, comecei com a maior contenção possível, mesmo a descer nos primeiros Km, tentei não me entusiasmar pois não conhecia o percurso e poderia precisar de "gas" para algumas subidas. Fui  sempre controlado e acabei por fazer um tempo parecido com as Lezirias mas desta vez sem sofrer e tendo uma prova equilibrada.

Relativamente à organização tudo 5 estrelas, respeitando as normas e com todos os cuidados.


Tenho visto alguns resumos de provas de triatlo e não vejo partidas em "slots", vejo sempre partidas em massa e com centenas de atletas. Alguém sabe porque é que têm regras diferentes?

Abraço e boas corridas!

terça-feira, junho 01, 2021

Corrida das Lezírias - o regresso


Em 2004, quando comecei na corrida e este blog, a minha primeira prova de corrida foi a Corrida das Lezírias, na altura com cerca de 14K, eu corria apenas há um mês e acho que tive bastante coragem em me aventurar numa coisa daquelas... (aqui o link para o post de 2004)
No passado sábado, dia 29 de Maio, tive mais uma primeira vez na Corrida das Lezírias. Passados cerca de um ano e meio de confinamentos e adiamentos e coisas virtuais, a Câmara Municipal de V. F. de Xira e a empresa Xistarca, tiveram a coragem de realizar uma prova com as restrições / recomendações existentes durante esta pandemia. Eu inscrevi-me logo que recebi a publicidade do evento, a vontade não me faltava, a forma está mais para a de "barril" do que para o "baril", não tem havido grandes cuidados diététicos, os treinos foram continuando, mas sem objectivos não há motivação, e não passavam de rodagem em ritmo de jogging. Após a inscrição, tentei fazer uns treinos mais ritmados mas nada de especial.
As partidas estavam organizadas entre sábado e domingo, o escalão 50/54 calhou no sábado com partida às 15:30, cada escalão tinha um número máximo de 200 participantes e as partidas foram em mini slots de 4 participantes, partindo de 5 em 5 segundos. Eu inscrevi-me para fazer sub 50 min. e coloquei-me na minha zona, chegado perto da partida tirei a máscara e arranquei, estavam quase 30 graus e o piso de terra batida secava muito a boca, ao primeiro km quando olho para o relógio estou abaixo de 4:20/km e logo começo a reduzir pois assim nem para 3.000m daria... e como se pode ver pelo gráfico abaixo, foi sempre a descer o ritmo em escadinha. Quando passo pelos 5km até senti algo que já não sentia há muito tempo - "dor de burro", mas com o segundo abastecimento e já em ritmo de cruzeiro, acabei por recuperar. Na zona ao lado do rio, apesar de o vento estar ligeiramente contra, as sensações permitiram restabelecer um pouco o ritmo pois dava uma sensação térmica mais agradável. Assim ainda fiz duas ou 3 ultrapassagens e acabei a bater mesmo nos 50 minutos de prova. (as fotos são do facebook da xistarca)



O balanço - a falta de preparação paga-se caro.
As desculpas - o horário, o calor, a vacina covid tomada no dia anterior.
O que me deixa triste - ter levado a familia para assistir a este regresso às provas e tal não ser possível, tive que voltar para trás para deixar a minha mulher e as minhas filhas em Vila Franca, à descoberta do desconhecido, sozinhas...
O que poderia ter corrido melhor - este ponto que referi acima, bem estar fisico, psicológico e social, também é estarmos com a nossa família a apoiar, principalmente quando o espaço é amplo, arejado e permite a cada um cumprir as regras...
Organização -  Mais uma vez, ponto que refiro acima, não posso acusar a organização, mas posso acusar quem faz recomendações que não fazem sentido, como não deixar pais assistirem aos jogos dos seus filhos, sendo que à mesma hora cidadãos do Reino Unido se "esfregavam" à vontade na cidade do Porto.
Ainda pensei que tão depressa não voltaria a fazer uma experiência destas, mas vou fazer mais uma tentativa na Corrida da Árvore em Monsanto...
Boas corridas!